netbet è affidabile - As lideranças populares e sindicais de todas as regiões mineiras se reunirão em Belo Horizonte no p

Lideranças popularnetbet è affidabile -es e sindicais preparam plebiscito

As lideranças populares e sindicais netbet è affidabile -de todas as regiões mineiras se reunirão em Belo Horizonte no próximo fim de semana para planejar a construção do Plebiscito Popular em Defesa das Estatais de Minas Gerais, previsto para acontecer entre os dias 19 de abril e 1º de maio.

Continua após publicidade

A iniciativa tem o objetivo de se contrapor às tentativas do governo do estado, sob gestão de Romeu Zema (Novo), de entregar à iniciativa privada empresas públicas que atuam em setores estratégicos, como saneamento, abastecimento hídrico e energia.

O Seminário de Formação de Formadores acontece das 9h de sábado (24) até às 14h de domingo (25), na Escola Municipal Belo Horizonte. Além de mesas de debate, oficinas e reuniões dos representantes dos municípios, o primeiro dia de encontro terá uma atividade cultural, a partir das 19h, no Mercado da Lagoinha. A expectativa é de que participem aproximadamente 400 lideranças. O evento é gratuito e as inscrições estão abertas neste link.

Auto-organização popular

No ano passado, o governador enviou à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que tem o objetivo de retirar a obrigatoriedade de realizar um referendo para vender a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) e a Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig).

Além de debater sobre o atual momento político e o papel das empresas públicas no desenvolvimento do estado, o seminário privilegia a auto-organização popular para pensar as estratégias de enfrentamento das medidas neoliberais do governador.

"A ideia de construir um plebiscito popular nasceu de um conjunto de organizações, movimentos sociais, estudantes, sindicatos e servidores públicos, movimentos de diversas trajetórias, que já têm acúmulo de lutar por uma Minas Gerais mais justa, mais solidária e mais democrática. A gente entende que defender essas empresas públicas é defender o povo de Minas Gerais", explica Marina Oliveira, que integra a coordenação estadual do Plebiscito Popular em Defesa das Estatais.

Troca de experiências

Em setembro de 2023, aconteceu em São Joaquim de Bicas, na região metropolitana, o primeiro Seminário Estadual de Formação de Formadores do Plebiscito Popular em Defesa das Estatais de Minas Gerais. Desde então, aconteceram dezenas de plenárias locais, como parte do processo de construção da iniciativa.

Agora, no segundo seminário, a expectativa da comissão organizadora é ampliar ainda mais a capilaridade e construir as bases para que o plebiscito aconteça na maior parte dos municípios mineiros.

A professora Aline Maia, de Barbacena, é uma das lideranças que se deslocará para Belo Horizonte com o objetivo de participar do encontro no fim de semana. Para ela, o momento será privilegiado, uma vez que permitirá a troca de experiência entre pessoas de diferentes regiões do estado.

"É um estado só, mas são realidades diversas, e as estratégias que utilizamos para construir o diálogo com a população são também diversas. Então, é um momento de troca e de encontro. É muito potente a gente se reunir com objetivos comuns. Eu acho que teremos bons frutos", afirma Maia.

Por que defender as estatais?

Além de garantir o acesso à água, energia e ao saneamento para milhões de mineiros, as estatais cumprem um papel fundamental no desenvolvimento econômico e social de Minas Gerais.

Na avaliação do coordenador-geral do Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores na Indústria Energética (Sindieletro), Emerson Andrada, a movimentação do governo estadual deveria ser outra. Ao invés de vender as empresas, Romeu Zema deveria buscar fortalecê-las.

"Muito mais do que debater sobre a privatização das nossas empresas, nós precisamos debater de que forma o povo, por meio de seus representantes, podem recuperar o potencial de desenvolvimento que elas possuem", diz.

Ainda de acordo com Andrada, a Cemig é uma das empresas de energia elétrica mais importantes da América Latina, e a Copasa é uma empresa de saneamento exemplo para qualquer outra do setor devido a suas avaliações de qualidade.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Purificação e Distribuição de Água e em Serviços de Esgotos do Estado de Minas Gerais (Sindágua-MG), Eduardo Pereira destaca a importância das empresas no combate a desigualdade.

"A Copasa e a Cemig são fundamentais para ajudar a corrigir as desigualdades regionais em nosso estado, porque elas praticam uma tarifa com subsídio cruzado. Isso significa que os recursos das cidades que dão muito lucro podem ser investidos naquelas que não dão lucro, corrigindo as desigualdades sociais", destaca.

Confira a programação completa do seminário

Sábado

7h30 - 8h: Chegada das delegações

8h - 9h: Café da manhã

9h - 12h: Debate sobre a conjuntura brasileira, mineira e a defesa das estatais 

12h - 13h30: Almoço

13h30 - 16h30: Debate sobre como construir o Plebiscito Popular em Defesa das Estatais

16h30 - 16h50: Intervalo

16h50 - 18h: Reunião da comunicação e oficina de agitação e propaganda

18h - 19h00: Jantar/banho

19h - 00h00: Cultural 

Domingo

8h - 9h15: Café da manhã 

9h15 - 11h15: Debate sobre o planejamento do plebiscito nas regiões

11h15 - 11h35 - Encaminhamentos e calendário

11h35 - 12h30: Reunião das mulheres sobre o 8 de março 

12h30 - 13h30: Almoço

14h: Arrumação do espaço e retorno das caravanas

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Larissa Costa


Relacionadas

  • Sob críticas, propostas de Zema para privatizar empresas de MG começam a tramitar no Legislativo

  • O que acontecerá com o interior de Minas, se Zema privatizar o saneamento?

  • Proposta de Zema quer retirar direito da população de decidir sobre as privatizações

Outras notícias

  • Em BH, encontro reúne comunidades ameaçadas pela mineração a partir de segunda (5)

  • Encontro estadual do MAM promete ser marco na luta contra a mineração em Minas Gerais

  • “Fora Bolsonaro” é urgente diante de pandemia e crise econômica, defendem movimentos

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap